Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

0.87 cêntimos

0.87 cêntimos

Li o resultado

Guarda rios, 28.02.23

de um estudo há dias sobre a relação entre o exercício físico e o desempenho cognitivo.

Depois quando quis procurá-lo melhor para partilhar por aqui, verifiquei que já não estava online, mas o mais curioso, é que pelos vistos, é só mais um, pois já houve vários estudos acerca do mesmo.

Então concluíu-se que cerca de 4.500 pessoas que participaram no estudo( essa parte lembro-me) que tinham desenvolvido atividades moderadas como andar de bicicleta, andar a pé ou nadar, tinham as suas capacidades cognitivas mais desenvolvidas em relação às que não praticavam desporto.

Na procura da notícia encontrei outras informações de outros estudos; nomeadamente: melhora a atenção e concentração dos estudantes no seu desempenho académico e melhora a memória de curta prazo nos pacientes de Alzheimer.

Aqui fica a dica: depois de escreverem o vosso post ou verem a vossa série de televisão, toca a exercitar o corpo!!!

Já agora, alguém faz algum tipo de exercício? Se sim, quantas vezes por semana?

Eu faço caminhada (  tento fazer 2 a 3 por semana!)

E hoje ...

Guarda rios, 27.02.23

não há posts!

Lembro-me de uma rubrica das notícias na série dos Marretas, em que o sapo Cocas, de vez enquanto interrompia a série a meio com as notícias.

Uma das vezes, e lembro-me até hoje ( vejam bem!), dizia com ar feliz e com uma série de papéis à frente: " Bem, e hoje não há notícias!"

Já ouviram falar no bookcrossing?

Guarda rios, 24.02.23

Pelos vistos surgiu em 2001 nos EUA e o intuíto era transformar o mundo numa biblioteca.

Supostamente as pessoas deixariam um livro num local público onde as pessoas o encontrassem e o leriam. Mais tarde poderiam devolvê-lo ou deixar um seu.

Esta ideia já se encontra muito difundida por aqui, se bem que encontro diferentes versões: a do bookcrossing e a do leve e não devolva!

Já encontrei em bibliotecas, em jardins e até na praia.

Gosto do conceito. Às vezes encontram-se achados outras vezes nem por isso. Para além de funcionar como fator surpresa, nunca sabemos o que podemos encontrar, parece também que estamos à cata de um tesouro! O livro que ainda não temos e que nos faz falta!

Já encontrei imensos livros para crianças e em bom estado, enciclopédias sobre animais, ou mesmo sobre os povos ou relacionados com história ou arte.

Desta vez, encontrei um livro sobre uma jovem que tirou um canudo, mas que foi trabalhar para um supermercado, e então a viagem à volta do livro são as peripécias no supermercado. Já comecei a ler. Depois encontrei o meu herói de criança: o Tom Sawyer! O livro estava em mau estado, quer dizer, a lombada, de resto, estava ainda em condições de leitura. Tentei entusiasmar o meu miúdo a lê-lo e agora antes de se deitar, lê um bocadinho. "Já vou na 17", disse-me ontem do seu quarto para o meu.

A minha filha encontrou um romance sobre um rapaz com trissomia 21 e um cão.

Nem sempre os conteúdos me interessam, como por exemplo: " Manual de eletricidade" ou " Como criar cavalos" ou outros.

Mas como se costuma dizer " Cavalo dado não se olha o dente".

 

A barata!

Guarda rios, 23.02.23

Há umas semanas fui à mercearia da rua. A do costume. O patrão é do Bangladesh.

Jovem e simpático. 

Estava eu a dirigir-me para a arca vertical à procura do queijo em fatias, quando o meu filho gritou:

" Está ali uma barata!

Começou a parvalheira!

Um homem que estava junto ao balcão começou: " Ah! veio fazer uma visita ao supermercado do Ali!"

O Ali ( dono da mercearia) dizia para o meu filho: " onde está ???" 

O meu filho : " Está ali, a correr!"

Continuava o homem do balcão: " Ah ! A correr ainda vale mais ! Os produtos ficam mais caros!"

O Ali já com a vassoura levantada dizia: "Aonde está?"

O meu puto apontando para o local e entre as vassouradas do Ali, a barata corria de um lado para o outro!

No final... morreu. Mas aquele bocadinho ainda deu para rir!

 

Comida II

Guarda rios, 23.02.23

Horas antes de fazer o jantar a minha filha chega à sala e diz: " hoje faço eu o jantar, vi uma receita de massa na net, quero fazer!"

Eu 

Aproximava-se das 19h e apanhei-a no corredor e perguntei-lhe:

- Então a massa?

Respondeu: " Qual massa???"

Eu: A massa que tinhas falado bla bla bla.....

Disse: " Agora vou mijar!"

Eu: E a massa?

Repetiu: Vou mijar!

Então quem faz a massa? - disse eu

Respondeu: " queres que mije na massa??"

Nós:

 

Nota: peço desculpa aos mais sensíveis pela linguagem empregue no post.

Comida I

Guarda rios, 22.02.23

No outro dia chamei o meu puto para jantar.

Ao ver batatas no prato disse: " estou farto de batatas!" " Não quero comer batatas, quero arroz!"

Em vez de me chatear, disse-lhe: " vê lá se depois de jantar não vais fazer uma cópia ( o puto odeia fazer cópias...)

Disse logo: " aí que boas batatinhas!" "gosto tanto!!" " vou já comer!"

 

Pensei: Resultou!

A minha mãe ganha-me aos pontos...

Guarda rios, 16.02.23

Sempre que a conversa é sobre dores.

Se eu digo " estou com uma dor de cabeça..."

responde : " e eu? que tenho dores de cabeça todos os dias?"

Se eu digo: " estou à rasca das costas..."

Diz: " E eu? Que levanto-me toda esquadrilhada!!!"

Se digo: " gastei 15 euros no xarope da tosse do puto..."

Responde: " E eu? Que gastei 35 euros nos comprimidos do colestrol!"

E é isto. Não me posso queixar de nada, que ela está sempre pior!!!

A história só muda de figura, caso tenha algo que não tenha, imaginemos uma dor de garganta.

Diz logo: " apanhaste frio, agasalha-te bem, liga o aquecedor, faz chá de limão, gargareja com tantun verde que ajuda! ( ah não, essa última isso digo eu!)

14, 10, 8 etc

Guarda rios, 14.02.23

Tenho lido ultimamente destaques aqui e ali de pessoas que comemoram a existência do seu blog: dez anos, catorze, oito....

Fico a pensar...bem... isso é que é estaleca!

Tiro-vos o chapéu, a quem já cá está há muito tempo!!! ( como é que conseguiram????)

Fiquei a pensar, no que fiz então há uma década atrás, se por acaso tivesse escrito num blog, e não imaginando o que escreveria ao detalhe, fiz um regresso ao passado na minha mente dos acontecimentos mais marcantes.

Então há dez anos atrás, 2013, estava grávida, e teria o meu segundo filho,  no final desse ano. Entrava depois em licença de maternidade.

Durante essa década ainda me divorciei, vendi a minha casa, comprei outra, vendi o carro, comprei outro, a minha filha com 6 na altura, tem atualmente 16; mudaram de escola, ele ainda no básico e ela já na secundária. Andei em carradas de escolas, efetivei há cinco; trabalhei com mais ou menos 1000 alunos, fazendo a média de 6 turmas por ano, com mais ou menos 28 alunos por turma.

Conheci muitas colegas ao longo destes anos ao nível profissional.

Viajei pouco, confesso. Embora os últimos destinos que me lembro foram Malta e Barcelona, Algarve, Porto de Mós....Houve anos que fiquei por cá, e quando digo por cá, é em casa.

Andei uns anos em que me dediquei à pintura, mais tarde à escrita. Comecei um blog, que ainda anda por aí, mas nunca mais lhe toquei, penso que ainda em 2019. Fica em jeito de memória futura.

Os meus pais ainda trabalhavam, entrariam anos depois para a reforma.

Entrei na pandemia, tal como todos vós, estive em teletrabalho ( a maluqueira das aulas online) e apanhei o covid 2 vezes!

Da primeira vez, parecia que ia morrer, da segunda correu melhor!

Adotei a gata de loiça e mais tarde o príncipe. Deserdei o príncipe ( levei-o para casa da minha mãe), e no ano passado adotei 5 caturras e 2 periquitos, que me dão cabo da cabeça devido ao barulho.

Basicamente uma década bastante banal!!! 

Olhando para trás, parece que não aconteceu nada de especial, ( tirando o nascimento do meu filho), talvez porque já foi há muito tempo, e esse passado já não me toca, já está muito distante.

Parece que não mudei e continuo aqui.

Mas não deve ser bem assim, porque tudo o que nos acontece muda-nos e nos transforma, as coisas boas e as más.

E vocês o que fizeram nesta última década? O que mudou? que acontecimentos importantes marcaram a vossa vida?

 

As minhas lindas cortinas lol

Guarda rios, 14.02.23

Hoje o tema é para o banal.

Nada de profundezas.

Quem não quiser ler, passe è frente!

Adoro deco ( decoração). Não rara a vez, que a minha filha chega a casa e me vê com um rolo de tinta na mão, em cima de um escadote, com umas calças velhas vestidas ou de avental.

E diz: " lá anda ela nas pinturas! ou a mudar os móveis!"

Realmente desde pequena, e quem gosta de decoração há-de se rever um pouco aqui, estamos sempre à procura da melhor solução, do que poderá melhorar, o que se poderá mexer, enfim de novas perspetivas para o olhar e encaixar os móveis.( normalmente para ter mais espaço, mais funcionalidade ou para ficar mais bonito).

Então desde pequena que mudo os móveis, daqui para ali e dali para acolá. Ou então fico só a pensar nas melhores possibilidades!

Realmente não consigo que um espaço fique estático muito tempo, é como se a casa estivesse viva e me pedisse para o fazer.

Considero que os objetos têm o seu lugar certo, mas que ainda não o decobrimos, e quando o descobrimos, sentimos que deveria ter estado sempre ali, e perguntamo-nos como é que nunca nos tínhamos dado conta.

A decoração da minha sala é de cor terrosa, castanhos suaves com a cor do verde das plantas à mistura.

Mas sentia que faltava algo, que estava demasiado tranquilo para o meu gosto. Eis quando descobri no meu sótão umas cortinas antigas bordô ( cor de vinho), uma cor forte e rica.

Provocou automaticamente um alto contraste, servindo de ponto central da sala.

E adoro-as!

Adoro olhar para aquela cor, vezes e vezes sem conta!

e tu? Que peça tens em casa que adoras?

Pintar ou não pintar?

Guarda rios, 13.02.23

De vez enquando surgem umas mini reportagens sobre mulheres que decidiram definitivamente deixar de pintar o cabelo.

Já pensei nisso. Estou farta de pintar o cabelo!

Claro que a pessoa parece mais jovem, é verdade, mas a trabalheira, de 3 em 3 semanas, lá anda a pessoa com a tinta na cabeça.

Sinceramente já não me apetece pintar...

Mas falta-me a coragem, falta-me dar o salto, até que a ideia passe a resolução. A minha filha disse logo: " pinta, porque se não pareces mais velha!"

 

Claro que parecer mais velha... também não quero, mas não sei se o sacrifício de pintar compensa.

Aliás nessa reportagem, mostravam mulheres com penteados giríssimos que nos deixam a pensar que se calhar vale a pena.

Mas uma coisa é a imagem fabricada e a outra é a realidade...

Pág. 1/2